Farsa decupada

Eurico-no-bola-da-vez.png

Eurico entrega um suposto documento contábil a Mauro Cezar Pereira

Por um sem-número de razões, cessei meu compromisso periódico de escrever sobre o Vasco por essas bandas. Não precisam preocupar-se, não voltarei a fazê-lo.

Contudo, ante a participação do presidente do Vasco, Eurico Miranda, no programa Bola da Vez da ESPN no dia 14/3, convém fazer um registro – quase um desenho – do que prometeu o comandante cruzmaltino acerca das finanças ao jornalista Mauro Cezar Pereira e o que, de fato, entregou.

O compromisso de Mauro Cezar foi:

Eu não sou um especialista, mas eu procuro os especialistas para me ajudar nessas horas, que é o que vou fazer com esse material que o senhor acaba de me entregar.

Antes, Eurico disse:

Algumas coisas eu sei que é, mas, eu vejo você acompanhar e vou dar que é pra você ler e reler…

O problema é o seguinte, você entra – e desculpe eu ter que abordar também esse assunto, que é pra poder dizer também porque que é o Cristóvão! -, eu peguei um clube com R$ 700 milhões de dívidas. Eu peguei um clube que eu deixei, que eu tinha deixado, com R$ 130 milhões de dívidas, que eles logo que chegaram transformaram em R$ 300 (milhões)… Maquiagens para achar que tinha isso, contigência, sei lá o que for… E me entregaram com R$ 700 milhões de dívidas.

E o que que eu precisava fazer? Primeiro eu precisava tentar ajustar para poder… e isso teve como consequências o time do futebol, e… Paguei nesses dois que estou lá R$ 170 milhões de dívida passada, além daquilo que a gente fez. Fora o que a gente realizou patrimonialmente, que eu também tô te dando.

Ufa! Muita coisa, não? Pois bem, Mauro foi buscar ajuda com o Executivo do Itaú BBA, Cesar Grafietti, que inicia sua análise de maneira bem direta:
Os dados apresentados pelo Vasco neste relatório são insuficientes para uma análise. Trata-se de um punhado de informações desencontradas relacionadas a Dívidas e Passivos.
Não seria necessário ler o restante, diante dessa afirmativa, para inferir que, noves fora a pavonice, Eurico entregou um grupo de papeis que contabilmente pouco serve.
O presidente, porém, foi além na entrevista. Olha só o que ele, textualmente, afirmou:
E aí eu vou aproveitar, para você que é um especialista, que eu tô falando muito desse negócio contábil, são números. Depois quando você tiver – eu vejo que você gosta disso. -, você analisa aqui essa realidade financeira do Vasco e a situação patrimonial do Vasco antes de dezembro de 2014 e hoje, não, em dezembro de 2016, que a gente fechou em dezembro de 2016 é a mesma coisa a realidade financeira e hoje, só pra você ter uma ideia, que pode parecer tudo – aí ficam falando, falando, falando – e a primeira coisa que eu tive que fazer no Vasco, tinha um monte de barbaridades lá, mas a primeira coisa que eu tive de fazer foi pagar R$ 12 milhões, sem ter um tostão em caixa – e isso é normal não ter caixa no clube -, tive de pagar R$ 12 milhões em impostos pra eu poder conseguir tocar, conseguir certidão que, aliás, talvez seja – quer dizer, fizemos naquela época e em dois anos e poucos de administração – o Vasco tá rigorosamente em dia com suas certidões, com as certidões de débitos fiscais, com as certidões de fundo de garantia, que é um ônus que você tem, pagando aquilo atrasado e estando em dia, isso aqui é que é pra depois você, por favor…
Sobre tudo isso, diz Cesar:
…podemos tentar extrair ideias, mas isso em nenhum momento dá margem para qualquer afirmação sobre a gestão do clube no período citado, entre o final de 2014 e meados de 2016.
(…)
…comparando novembro de 2014 com julho de 2016 (…) dos R$ 172 milhões, se deduzirmos os R$ 114 milhões de Profut – que vem sem esforço de caixa, apenas baixa automática – a redução potencial de Dívida cai para R$ 58 milhões. Ainda assim um número considerável, mas inferior ao esforço potencial apresentado.
O executivo vai além:
Ou seja, as duas informações mais relevantes — aumento da dívida entre 2008 e 2014 e pagamento entre 2015 e 2016 — não parecem ser completamente corretas, ressalvando-se que a fonte é incompleta.
E vaticina:
…exceto se 2016 tenha sido um ano extraordinariamente bom, sob o ponto-de-vista de balanço, há poucas chances das dívidas terem caído na magnitude informada, exceto pela adesão ao Profut, que perdoou juros e multas.
O final da análise é um verdadeiro balde de água fria na mais débil esperança que ainda possa estar acesa sobre essa gestão.
… falta o mais importante, que é o balanço de 2016 (ainda não publicado). Sem esta peça, e com os dados disponibilizados pelo clube, não é possível confirmar nem duvidar do que foi dito pelo presidente vascaíno …
Eurico Miranda e sua verdade deturpada e autoritária não me surpreendem. O que me causa espasmo ainda são os que dão crédito a ele ou aqueles que preferem duvidar de novos nomes para agarrar-se a uma certeza tão inconfiável quanto esta.

A análise completa apurada por Mauro Cezar encontra-se aqui, no blog dele (com link para outra análise feita anteriormente por Amir Somoggi, profissional especializado em estudos envolvendo balanços dos clubes de futebol).

Se há esperanças ainda para o Vasco da Gama, sinceramente, não sei. A certeza que me resta é que, se houver, ela necessariamente não passa pelo manutenção deste senhor à frente do Club.
Anúncios

2 pensamentos sobre “Farsa decupada

  1. Mas, como mudar isso?
    Temos alguma chance de nas eleições vindoura tirar este senhor do poder? me diz JC será que iremos conseguir isso?

Concorda, discorda, gostou? Opine você também.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s