Rir pra não chorar

Sad-Clown

Até agora – dia 27 de dezembro, quando escrevo essa coluna – a diretoria do Vasco apresentou um único reforço para o início de temporada de 2016. O superintendente de futebol do clube, Isaías Tinoco, tentou explicar em entrevista à Rádio Tupi a falta de boas novas para a torcida.

Na minha modesta opinião, tudo o que conseguiu foi perpetrar uma peça de humor involuntário. Talvez por perceber que, diante da situação do Vasco, rir não seja apenas o melhor, mas possivelmente o único remédio.

Pinço aqui algumas declarações que são um belo exemplo da filosofia “rir para não chorar”:

Nós temos um planejamento.

Se vocês conhecem o doutor Eurico, as coisas acontecem e depois divulgamos.

Planejamento é de dentro para fora.

O Vasco está reabrindo a fábrica de craques.

Não tem motivo para estarmos preocupados.

Todo esse falatório otimista, vindo de um colaborador de longa data da atual diretoria, causaria hilaridade se não fosse terrível.

Como falar tanto em planejamento depois de um ano que começou com o Euriquinho – filho do presidente e eminência parda no futebol do clube – deixando claro que o “planejamento” para as contratações levou em conta apenas critérios financeiros e não qualitativos?

Como falar tanto em planejamento se o atual presidente, quando ainda era candidato, disse que não precisava ter propostas para gerir o clube?

Como falar que com o “Dotô” as coisas acontecem e depois são divulgadas, se apenas em 2015 o próprio Eurico anunciou técnico que não veio, jogador 90% contratado e que não se jogaria na Arena? Isso sem falar na “Sibéria” e na impossibilidade de rebaixamento com ele na presidência…

Como não rir da “fábrica de craques”, quando nos seus já nove anos comandando o clube, se contam nos dedos os jogadores formados na base e que conseguiram algum destaque no futebol? E, ainda assim, todos esses foram vendidos assim que a primeira proposta apareceu?

E ainda, como levar a sério uma diretoria que, em detrimento da nossa base, privilegiou contratações toscas e inexplicáveis em 2015? Agora, quando o clube não tem condição nenhuma de contratar jogadores de qualidade, vir falar em “fábrica de craques” como se tivéssemos qualquer outra alternativa para reforçar o elenco? Só rindo!

Por fim, a última pérola: como não há motivos para nos preocupar? Como ficar tranquilo vendo as mesmas pessoas cometendo os mesmos erros cometidos em anos anteriores? Talvez o Sr. Tinoco esteja pensando que a volta à elite será fácil e sem turbulências, como se a camisa do Vasco fosse o bastante para nos garantir uma boa Série B. Se for isso, recomendo que o superintendente de futebol vascaíno procure se informar sobre o ano de 2014, quando tínhamos um elenco bem mais qualificado que o que temos hoje e ainda assim penamos para conseguir a terceira colocação na segundona.

Depois de um 2015 inteiro cheio de bravatas não cumpridas, declarações não são o suficiente para convencer o torcedor vascaíno de que teremos um 2016 tranquilo. É preciso mostrar trabalho e competência. Mas até o momento, tudo o que vimos foi o mesmo discurso de sempre, que numa situação como a nossa, é de fazer chorar (por mais hilária que seja a tentativa de nos convencer que tudo está bem).

Anúncios

13 pensamentos sobre “Rir pra não chorar

  1. JC, vi suas discussões com o Tenório Silva e respeito as duas opiniões. Minha opinião é que o time que terminou o CB 2015 mostrou qualidades (defeitos também, mas acho que as qualidades superam) e é bem diferente e melhor do que o time do início de 2015. Como time mesmo. Temos uma base, diferente do final de 2013 e 2014, que precisa melhorar, claro, mas temos. Quanto aos reforços, é melhor ter paciência e contratar com critério. O Yago Pikachu, por exemplo, acho um ótimo reforço. Acompanhei de perto em Belém. Tem muito potencial. Não estou defendendo a Diretoria. Pelo contrário. Concordo com você que eles estão inertes por pura incompetência. Mas esse ano de 2016 é a hora de dar chance a jogadores da base (na minha opinião, o maior erro de 2015). Pra resumir, talvez a estratégia no momento seja a correta. Não por mérito da Diretoria, mas por falta de opções mesmo. Vamos torcer como sempre fizemos e faremos. Um abraço e feliz 2016.

  2. Já disse que não posso ser taxado de Euriquete nem Bananete, até porque não voto, mas estou apenas buscando coerência no discurso dos nossos “formadores de opinião”.

    Republico o que disse no dia 17/novembro/2014, depois da derrota diante do Ceará pela segundona:

    “Tentemos esquecer todos os jogos horríveis que fizemos e sejamos racionais: os dois times à nossa frente na tabela contam com jogadores da qualidade de Martin Silva, Thalles, Maxi Rodrigues, Rodrigo, Guiñazu ou mesmo Luan, Montoya e Kleber? Se pensarmos que um dos destaques da Macaca é o Renato Cajá, podemos incluir até o trotador Douglas nessa lista. Estamos falando de um elenco montado para disputar a Série B. E se lembrarmos que um elenco é um grupo de jogadores e não um TIME (no sentido de saber jogar coletivamente), fica mais fácil entender que argumenta que, NO PAPEL, o Vasco tem jogadores que poderiam levar o título da competição com relativa facilidade.”

    Continuando…

    “E é claro que há outros motivos para o elenco não render o esperado: o clima instável do clube, a falta de salários, as rixas internas. E, é claro, para não livrar a cara dos próprios jogadores, a falta de comprometimento de um bando de “profissionais” que sabem que aconteça o que acontecer, dificilmente permanecerá no clube no ano que vem. E são esses os fatores que fazem a torcida mais se irritar com esse grupo e que, não injustamente, nos faz querer que todos sejam dispensados o mais rápido possível. Mas nada disso muda o fato de que, com um treinador decente, esse mesmo elenco teria potencial para render muito mais, inclusive ganhando a competição.”

    Por fim…

    “Mas, que fique bem claro: nada apagará o fato de que esse é o momento mais vergonhoso em toda a história do Vasco.”

    Apenas isso que eu gosto de registrar.

    Vale a pena refletir!

    Um abraço e um bom 2016 para todos nós!!!

    • Se sua intenção foi tentar me contradizer, lamento, a citação nem de perto consegue o objetivo.

      Primeiro, caso não tenha percebido, a coluna citada ELOGIA (dentro das suas possibilidades) o elenco de 2014 e critica O TIME.

      Depois, vc ainda me dá mais elementos para comprovar a tese de que o time do ano passado era bem melhor que o de 2015: o que eu digo é que muitos fatores extracampo prejudicaram o desempenho do time na Série B. Esse ano, o principal deles não aconteceu (os atrasos salariais) e ainda assim fizemos uma campanha pra lá de vergonhosa. Se fosse o time de 2015 disputando a Série B sob o comando do Dinamite e do Joel, correríamos um risco gigantesco de sequer subir.

      Isso sem falar o principal: NADA do que eu falei no longínquo novembro de 2014 muda o fato de que o elenco da Série B era mais qualificado que o desse ano. Mas, é claro, isso é questão de opinião. Vc não precisa concordar com isso.

      PS: sobre as últimas aspas, reflita: eu falei que AQUELE era o momento mais vergonhoso da história do clube. Isso foi antes de uma terceira queda, no ano seguinte a termos retornado à elite. Portanto, pode ter CERTEZA: quando o Vasco iniciar sua TERCEIRA disputa de segunda divisão, estaremos no mais novo momento mais vergonhoso da nossa história.

  3. Curto e grosso.
    “Temos um planejamento.” … “as coisas acontecem e divulgamos”.
    Belo planejamento este que é acontecido no Vasco.

    Sucesso em 2016 a todas as mentes brilhantes responsáveis por tão complexo e porque não (kkk) contraditório planejamento.

    kkk
    Faltam 2 dias para 2016.
    Dr tá com inveja das tricoflores… kkk ccc

  4. Não sou desses torcedores que acompanham o time somente na vitoria más essa diretoria está a cada dia me desanimando mais de acompanhar o Vasco, tenho 21 anos e passei a acompanhar o Vasco de verdade a partir de 2003 e de la pra cá o Vasco não tem muitas glórias. Precisamos de um milagre nesse ano de 2016 pois será o pior ano do vasco, mesma diretoria pífia e nenhuma perspectiva de melhora, e uma receita a cada dia menor. Um clube gigante como o Vasco não pode ser administrado por essas pessoas. #renunciaeurico e toda deretoria

  5. “Se for isso, recomendo que o superintendente de futebol vascaíno procure se informar sobre o ano de 2014, quando tínhamos um elenco bem mais qualificado que o que temos hoje e ainda assim penamos para conseguir a terceira colocação na segundona.”

    Time da final do estadual:

    Martin Silva, André Rocha, Luan, Rodrigo, Marlon (Diego Renan); Guinazu, Pedro Ken, Fellipe Bastos, Douglas; Everton Costa (William Barbio) e Edmilson (Thalles). Técnico: Adilson Batista.

    Time que subiu:

    Martín Silva, Carlos César, Luan, Rodrigo e Marlon; Fabricio, Guinazú, Douglas, Dakson; Thalles e Kleber. Técnico: Joel Santana.

    Atletas que não permaneceram: André Rocha e Carlos César; Marlon e Diego Renan; Pedro Ken, Fellipe Bastos, Fabricio, Douglas e Dakson; Reginaldo, Kleber e Edmilson.

    Explique o motivo de achar que tínhamos um elenco “BEM MAIS QUALIFICADO” com esse naipe de atletas (excetuando-se o Douglas que demonstrava no Vasco um grave problema de peso, mas que pode ser comparado ao Nenê, que eu acho melhor).

    • Questão de opinião, amigo. Pra mim, Diego Renan, Pedro Ken, Douglas, Everton Costa e Edmilson seriam titulares no time de 2015 (inclusive depois da chegada de Nenê e Andrezinho, por exemplo). Aliás, quase todos os que se foram eram reservas e seriam reservas melhores que os que tivemos esse ano (e vc ainda esqueceu de citar o Maxi Rodriguez, que mesmo sendo reserva em 2014, poderia ser titular esse ano).

      Mas é claro que vc pode achar Christianno, Serginho, Diguinho, Leandrão, Jorge Henrique, Rúlio dos Santos, o irmão do primo do Messi, entre outros craques, melhores. Não tem o menor problema.

      • Respeito sua opinião, mas daí a dizer que o elenco ficaria “BEM MAIS” qualificado é puro exagero. É uma questão de utilizar a palavra certa. Se vc dissesse que o time poderia ter ficado “um pouco” melhor, talvez eu nem te respondesse. Mas diante do excesso…

        Diego Renan, Pedro Ken e Edmilson perderam espaço ainda na serie B em 2014. Foram reservas de Fabricio, Carlos Cesar e Kleber que, como todo o time, foi mal e penou para subir.

        Everton Costa está aposentado.

        Maxi Rodriguez fraco. Do nível de Riascos: mal nas finalizações e não sabe se é atacante ou meia. Voltou ao Grêmio e quase nem mesmo como reserva participou da campanha, surgindo apenas quando fez um golaço isolado.

        Por fim, Douglas, que foi o destaque no estadual, nosso líder técnico e que iria fazer o gol do título se não fosse mais um roubo a favor dos mesmos de sempre, relaxou na segundona. Infelizmente. Gosto do futebol dele. Que demorou a encontrar mercado nos principais times em 2015, indo parar no Grêmio de Felipão que estava praticando uma política do bom-bonito-barato.

        Fora do peso ideal quase sempre, Douglas é para mim ainda uma incógnita. Nunca de sabe se podemos contar com ele ou não. Foi bem no Brasileiro, mas na reta final deu uma queda. Seria o calor? Veremos como será o camisa 10 na Libertadores…

      • Ótimo respeitarmos a opinião um do outro. Eu acho o elenco do ano passado bem mais qualificado que o desse ano e vc não.

        Citar quem perdeu espaço não os torna piores que os jogadores que temos esse ano. E, como estamos falando de opinião, vc tem todo o direito de achar que Diego Renan/Carlos Cesar não são bem melhores que Christianno/Julio Cesar. Ou que Pedro Ken não é bem melhor que Serginho/Diguinho. Ou que Edmilson (que teve numa contusão ainda no Estadual a razão para sua “perda de espaço”) não é bem melhor que o Leandrão. Ou a comparação do Maxi Rodriguez com o Riascos (a meu ver completamente estapafúrdia e equivocada, mesmo sendo de posições diferentes).

        Sobre a demora do Douglas em encontrar mercado nos principais times em 2015, desculpe, mas aí não cabe opinião: é equívoco mesmo. Ele acertou com o Grêmio em dezembro de 2014 e chegou como titular. Quisera a diretoria que vc defende tivesse o mesmo critério para “bom e barato”.

  6. Simplesmente disse tudo, vamos continuar com a mesma ladainha, e não levar a nada, da última vez na série B, não levamos nem o vice, algum time grande que caiu, já ficou em terceiro? Acho que nunca, definitivamente viramos América.

Concorda, discorda, gostou? Opine você também.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s