A decisão é nossa

23325011561_1fa9d3dbc7_b.jpg

A torcida que sempre levanta o Vasco. [Paulo Fernandes / vasco.com.br]

Já não é de agora que as gestões que passam pelo Vasco tentam tirar dele o seu histórico papel de protagonista. A bem dizer, neste século, à exceção de 2011 e parte de 2012, vivemos a triste sina de ver o clube abandonar os topos das competições para transitar o incômodo rodapé das tabelas. Tal qual um nobre que, injustamente larapiado de seus bens, torna-se inquilino inapropriado da sarjeta.

2015, como se sabe, não foi diferente. O título estadual serviu como arroubo fugaz. Um domingo de relativa fartura perdido em um ano de absoluta escassez. Que pode terminar levando a Caravela a navegar, novamente, em mares muito aquém de seu gigantismo.

Ainda assim, mesmo o fardo de um ano humilhante, o peso do pior turno da história do clube ou a possibilidade tangível de mais uma queda não são elementos que justifiquem a extorsão de nosso papel, relegando a outros clubes até mesmo o nosso porvir.

Finda a rodada do domingo vindouro, traga ela qual for o resultado, seja o pranto da tristeza ou a lágrima de alegria, terá sido fruto única e exclusivamente de nossas ações, escolhas e empenho ao longo do campeonato.

Se cairmos, cairemos pelos intermináveis 13 pontos que nos atormentaram por mais de dois meses, pela letargia inexorável de um Roth perdido, pela teimosia infindável de um Eurico jactante.

Se ficarmos, seremos salvos por um Nenê que assumiu a responsabilidade de mil homens, pela obstinação fervorosa de Jorginho e Zinho, pela fé convicta de uma torcida que fez da Cruz de Malta sua religião.

O jogo de Santa Catarina é só mais um, dentre tantos outros, que terá impacto nos times que serão lançados ao precipício da série B. A despeito de acontecer na última rodada, não é e nem será o mais importante.

Urge deixar claro que o destino do Vasco jamais será definido nas laranjeiras, bairro que acalenta o ostensivo sonho de, um dia, ter história tão gloriosa quanto a nossa.

Convém não querer retirar de nós, nobres jornalistas, o protagonismo até mesmo de nossos próprios tropeços. Se queda houver, ela virá pelas mãos incompetentes de quem nos dirigem.

A nossa sorte é traçada por nós mesmos. Sorte, aliás, que já nos brindou quando nos fez Vasco, capaz de retornar à elite pela relva dos gramados, pelos vias sinuosas e legítimas da bola. E não pelos tapetes dos tribunais, como tantos, que agora aparecem, fizeram em outras épocas, às escondidas.

Entregue-se, caro Fluminense, ao seu papel de coadjuvante. Que nós seguiremos nosso fado de assumir, em qual divisão for, em qual lado estivermos, o papel principal que sempre nos coube.

Desculpe a rudeza, mas como você já sabe, é o destino.

Anúncios

3 pensamentos sobre “A decisão é nossa

  1. Quando se reelege um eurico miranda, não dá para “reclamar” da sorte. Ou melhor, do AZAR…!!!
    Quem torce PELO CLUBE, e não por dirigente FANFARRÃO e HISTORICAMENTE INCOMPETENTE, já sabia “o quê” nos esperava.
    O resultado, o PÉSSIMO resultado de sua PÉSSIMA gestão anterior – 2001 à 2008 – fala por si próprio.O que ele e sua patota fizeram com o clube campeoníssimo, rico e vencedor, que receberam do VERDADEIRO gestor da época vitoriosa do clube, está RECENTE DEMAIS para ser “esquecido” pelos IRRESPONSÁVEIS, VENDIDOS e “INTERESSADOS” NA CAUSA, que o reconduziram ao poder.
    O VASCO NUNCA FOI PROTAGONISTA com este sujeito na presidência. O título do RIDÍCULO E DESMORALIZADO campeonato regional desta federação de VÁRZEA, só “mede” o quão apequenaram um ex-gigante; pois mesmo este ÚNICO título conquistado, TÃO PEQUENO diante de nossas glórias, é MANCHADO pela EVIDENTE DEGRADAÇÃO, DEPRECIAÇÃO, do torneio e pelas “relações suspeitas” com os dirigentes da FEDERAÇÃO DE VÁRZEA.
    Mas não é o EXPLICITAMENTE INCOMPETENTE REI DAS BRAVATAS inócuas e ridículas o maior culpado pela DESTRUIÇÃO de um quase ex-gigante. Os MAIORES CULPADOS são os “beneuricos”, que VIABILIZAM e ENDOSSAM TUDO o que a patota casaquilda faz e desfaz. São estes que CARREGAM NAS COSTAS TUDO DE RUIM que já aconteceu e ainda acontecerá, enquanto o destino do clube estiver nas mãos desta gente.

  2. Realmente, ficar querendo colocar a culpa, antecipadamente, no fluminense, na arbitragem, no Juninho, no aquecimento global, no alinhamento dos astros, etc é simplesmente mudar o foco do real culpado por um rebaixamento. Ele pode não acontecer, mas se acontecer, sera 110% culpa do eurico e sua arrogancia e de mais ngm! Caso o flor perca, vai perder pq fez um péssimo segundo turno, perdendo tudo fora e quase não ganhando em casa (mas ganhou da gente, isso o dotô não lembra).
    Enfim, estamos pagando por uma péssima adm desde o começo do ano, não pela ultima rodada do brasileiro!
    SV

Concorda, discorda, gostou? Opine você também.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s