Profissionalismo pra que?

folgadoA história foi assim: uma empresa entra em contato com o clube através da sua agência de publicidade propondo uma campanha de lançamento para uma nova marca de chocolate que chega ao mercado. O Vasco, precisado de grana, fecha o patrocínio pontual e divulga a ação no site oficial e nas redes sociais do clube. São produzidas inclusive fotos com uma camisa já estampada com a marca do chocolate.

A divulgação aconteceu por volta das 15 horas da sexta-feira, dia 20 de novembro.

Fui ver a campanha e desisti antes de dar o play no vídeo. A hashtag #VascoNoG16 me pareceu, mesmo sendo obviamente incentivadora, um reflexo do momento triste pelo qual o clube atravessa. Precisar de incentivo para ficar entre os 16 primeiros colocados do Brasileirão é algo deprimente para um clube do tamanho do Vasco.

Tuitei essa minha impressão por volta das 17 horas do mesmo dia:

Minutos antes de mim, a diretoria informou no site do clube que havia suspendido a ação. Segundo a nota, “por não concordar com os termos da campanha veiculada em redes sociais”. Disse também que “em nenhum momento seu corpo diretivo aprovou a campanha veiculada”. Já a empresa, em nota oficial, disse que “todas as comunicações foram previamente aprovadas por escrito pelo departamento de Marketing do clube”.

O que podemos depreender dessa situação?

A chance de uma empresa multinacional divulgar uma campanha publicitária em suas redes sociais sem que ela tenha sido completamente aprovada pelo clube é ZERO.

Se a empresa afirma que as comunicações foram aprovadas por escrito (ou seja, há provas das aprovações), das duas uma: ou MENTE a nota oficial do clube ou não há ninguém no departamento de marketing do Vasco que seja considerado parte do “corpo diretivo” do clube – incluindo aí os Srs. Marco Antônio de Amorim Monteiro e Silvio Aquiles Hildebrando Godoí, VPs de Marketing e de Comunicação respectivamente.

Uma terceira opção é possível: não há qualquer comando no marketing do clube. Um patrocínio pontual é fechado, uma ação de marketing é oficialmente divulgada no site do Vasco e mesmo diante disso tudo, ninguém com poder para aprovar ou pedir alterações na campanha viu o que foi feito e apresentado ao Vasco.

Seja qual for a explicação verdadeira para o caso, o que vimos na prática é o Vasco perder uma chance de negócio que poderia render um bom dinheiro para os cofres do clube por incompetência. E mais: passa a impressão para todo o mercado, e para possíveis futuros patrocinadores, que o Vasco é um parceiro que pode aprovar uma campanha numa hora e desistir dela na hora seguinte.

Triste, mas nada surpreendente. Vindo de uma diretoria que sempre se posicionou contra o profissionalismo, esperar atitudes profissionais é que seria estranho.

Anúncios

9 pensamentos sobre “Profissionalismo pra que?

  1. Pra quê???
    Para não contarmos com a sorte.
    Michael Jordan (considerado maior jogador de basquete e para muitos o maior esportista da história) uma vez perguntado se consideravasse um homem de sorte respondeu +/- assim: treino 8 horas por dia cinco vezes por semana, se você acha que isto é sorte…para mim é treino, trabalho, dedicação… quando a bola cai…
    vide ou vixe Eurico Miranda e arbitragem do Brasil

  2. Temos uma diretoria de CLUBE DE VÁRZEA…!
    O “QUÊ” se poderia esperar de velhos RETRÓGRADOS, AMADORES e HISTÓRICA E COMPROVADAMENTE INCOMPETENTES…?!
    O “QUÊ” mais se poderia esperar de um dirigente, que “afirma” ser “ele” (???) o “planejamento” do clube…?!

  3. Também não gostei da campanha (Vasco no g16? Realidade, mas deprimente para a grandeza do Vasco) , não gostei da campanha anterior do mesmo produto que liga a sensação da mordida no chocolate realização de coisas impossíveis, tudo errado e mais uma vez o clube exposto ao ridículo. Esse comercial jamais deveria ter sido aprovado por qualquer departamento do Vasco. Ah , se fosse a diretoria anterior que fizesse isso ….o que estaria falando esse grupo que hoje está à frente do clube enquanto oposição.

  4. não esperava outra coisa aqui….. mas o doutor eurico está certíssimo em romper esse patrocínio pontual. o vasco é grande, e só está nessa situação por causa dos escândalos de arbitragem no Brasileirão, onde há um nítido esquema para beneficiar os times de santa catarina. vasco não é time de G16. a diretoria está mto certa em cancelar o patrocínio após ver a propaganda depreciativa dessa marca de chocolates. mas, é claro, os anti-eurico, bovinos e amarelos vão SEMPRE jogar a culpa no “dotô”. leia o cosme rímoli, ô seu anti… é triste saber q até corintiano consegue enxergar o que vocês não enxergam:

    http://esportes.r7.com/blogs/cosme-rimoli/desta-vez-eurico-miranda-acertou-em-cheio-patrocinio-com-chocolate-tinha-de-ser-rompido-o-grande-vasco-da-gama-nasceu-para-comemorar-conquistas-nao-ficar-entre-o-g16-22112015/

    OBS: tirando o início do primeiro parágrafo, onde o Cosme só escreve besteira, o resto foi perfeito. o cara lá de Sampa percebeu o q vcs não percebem. Vergonhoso…

    • Pra vc, só mesmo o Caetano falando…

      Defender o Dotô, ainda mais sendo tão estúpido (ou simplesmente pago pra isso) se entende. Não entender o que está escrito e falar merda pra defender o indefensável é que é demais.

      E aproveite: os lobotomizados/pagos pela diretoria pra defender o indefensável estão com os dias contados por aqui.

  5. Isso foi mais uma atitude patética da diretoria. A mensagem criada pela empresa foi meio deprimente, mas dai a diretoria do nada cancelar o patrocínio, foi algo péssimo p nossa imagem.

  6. Pingback: Vasco segue vivo, torcida quase morre | Blog da Fuzarca

Concorda, discorda, gostou? Opine você também.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s