Até o fim

Jogadores celebram o gol único na Ressacada - Site Oficial do Vasco (www.vasco.com.br)

Jogadores celebram o gol único na Ressacada – Site Oficial do Vasco (www.vasco.com.br)

Desde o segundo tempo do jogo contra o Atlético-MG, a possibilidade de ficar na série A tornou-se possível. O que jamais quis dizer que ficou fácil. É claro que as vitórias contra Ponte-Preta, Atlético-PR, Sport-PE e Flamengo, entremeadas por um empate com o Cruzeiro, animaram justificadamente a torcida. Mas convém não deixar-se enganar. Resgatar o intervalo que compreendeu o momento em que Eurico bravateou que brigaríamos pelo título até o fim da Era Roth é tarefa hercúlea, semi-impossível, que só será virá sob muita luta, batalha e entrega.

Evitar o terceiro rebaixamento em oito anos ainda é missão difícil demais, mais penosa do que a visão do torcedor permite enxergar na análise dos confrontos. Vai ter muito choro e ranger dos dentes. Nenhuma peleja será fácil. O time terá que suar sangue e a matemática não poderá se guiar pela frieza dos números. A regra é simples, direta e objetiva: vencer o próximo jogo. No melhor estilo “Fiado, só amanhã” das paredes dos bons botequins portugueses.

Por mais que seja complicado abandonar o lado passional e a análise impulsiva que contempla apenas os 90 minutos de uma partida, é necessário considerar o contexto do Vasco neste campeonato. Enxergar a mudança de cenário das últimas rodadas, reconhecer a limitação do elenco, sem esquecer que esse time não acertará todas as bolas, que o treinador há de equivocar-se tantas vezes, que as falhas inerentes ainda acontecerão e que o nervosismo e a ansiedade ainda influenciarão deveras este escrete.

Ampliando a visão, ponderando o horizonte completo, fica mais fácil perceber que a fuga, se vier, chegará no limite da competição, no perímetro da degola, à beira de um infarto súbito. O conceito de batalha, para o porvir, troca tons figurados por cores reais e o soldado, conseguindo manter-se vivo, sairá ensanguentado, exausto, roto, ferido e alquebrado.

A aflição é enorme para sair dessa zona incômoda da tabela. Porém, precisamos estar fora de lá em apenas uma rodada, a última. Aprimorando o olhar, evocando a nossa situação recente e os últimos seis jogos, vê-se que nove rodadas podem ser possível para tanto.

O Avaí agora já é passado. Esqueça os adversários, as contas, as bravatas. É vencer o próximo e seguir.

E já que eu escolhi acreditar, Vasco, agora eu vou até o fim.

Anúncios

Concorda, discorda, gostou? Opine você também.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s