Da série “perguntas sem resposta”

face-questions-1567164Um leitor do Blog da Fuzarca me perguntou em um comentário se eu saberia responder porque a diretoria achou melhor vender o Jhon Cley enquanto preferiu renovar com Sandro Silva até dezembro de 2016.

Obviamente eu não saberia responder à pergunta. E dadas as circunstâncias, dificilmente a própria diretoria saberia. Pelo menos sem provocar algum constrangimento para si mesma.

Jhon Cley, meia criado no Vasco e com apenas 21 anos, teria seu contrato com o clube encerrado em dezembro. Há outros 17 jogadores na mesma situação no elenco, e nenhum além do rapaz foi negociado. Pode-se dizer que, diferente dos outros, Cley recebeu uma proposta do exterior. Mas a proposta de cerca de US$ 500 mil, convenhamos, foi uma ninharia, mesmo se se considerar o potencial de um jogador da sua idade.

Ainda assim, a decisão passa pelo departamento de futebol do clube. Se a diretoria considerou a oferta boa, nada se pode fazer. Cley não pareceu exatamente empolgado com sua ida para o Oriente Médio, mas fazer o que?

Mas aí voltamos para o Sandro Silva. Um volante que terá 32 anos ao fim do seu contrato com o Vasco, participou do rebaixamento em 2013, foi afastado do time ainda em 2014, voltou em 2015 para novamente ser afastado em tempo recorde. Como a gestão Dinamite fez o favor de fazer um contrato longo com o jogador, a atual achou por bem negociar: diminuiu seu salário e em contrapartida estendeu o compromisso com o jogador.

O resultado? O Vasco gastará com Sandro Silva, um jogador que não interessa ao clube e nem mesmo ao Bragantino (clube que o dispensou logo depois de contratá-lo por empréstimo), mais de R$ 3 milhões até 2016.

Reparem: o que o Vasco ganhou com a venda de Jhon Cley, um jogador criado na base do clube e que sequer teve todo seu potencial desenvolvido, não pagará nem metade dos salários do Sandro Silva, o volante trintão triplamente dispensado que ficará até o fim do ano apenas treinando, sem atuar por qualquer clube.

Ah, vale lembrar que o empresário que conseguiu garantir a boa vida do Sandro Silva por mais de um ano sem precisar jogar uma partida sequer se chama Orlando Almeida. Coincidentemente, também empresário do Nei, outro veterano come-dorme sem chances de jogar no elenco vascaíno. Estou pensando seriamente em contatar o Sr. Almeida e pedir que ele me agencie. Quem sabe não arranjo um contrato desses – em que não se precisa jogar para receber – em algum clube? Não no Vasco, claro.

Desculpe, caro leitor. Mas como se vê, é impossível para qualquer pessoa razoavelmente sensata responder à sua pergunta.

Anúncios

34 pensamentos sobre “Da série “perguntas sem resposta”

  1. Vender um garoto de 21 anos formado na base por um valor alto já é de se reclamar, mas por um valor RIDÍCULO realmente é dose! O que será que aconteceu??? Pergunta difícil se você quer responder sem levar um processo nas costas…..

  2. http://app.globoesporte.globo.com/futebol/mapa-das-torcidas-no-facebook/

    Observem as preferências dos times dos inscritos nessa rede social. Não se trata de uma pesquisa de torcida, claro, mas acredito que evidenciem indicadores e sinalizadores importantes.
    Passeiem pelas cidades do interior de Minas, do Nordeste e outras tantas. Em Natal/RN, por exemplo, vejo o Vasco atrás de Corinthians e São Paulo. Há 20 anos nunca imaginaria ver isso em nenhum tipo de aferição. O Vasco continua sendo um clube forte nacionalmente, mas perde espaço rapidamente para os paulistas.
    Em várias cidades, a maioria das que vi até agora, Corinthians e São Paulo estão na frente do Vasco, isso em praças antes ditas dominadas apenas por Flamengo e Vasco com larga vantagem. Esse tempo passou. O Flamengo manteve sua torcida, o Vasco não. A maioria da garotada e dos mais jovens de todas essas praças (acho que ainda a maior parte entre usuários dessas redes sociais) não mais enxerga o Vasco como uma opção de clube forte pra torcer como via antes.

    Vasco mantém sua fortaleza fora do Rio no Amazonas, no Espírito Santo e em algumas cidades de Minas. Possui bons índices também no Maranhão, Pará e parte de Santa Catarina. No Distrito Federal também, com pesquisas recentes confirmando isso. Mas até em Brasília, onde, repito, todas as pesquisas atuais mostram o Vasco ainda na frente de Corinthians e São Paulo, afinal trabalham com uma amostra representativa da população (diferente de uma medição de rede social), já há uma indicação para o crescimento dos paulistas. No Estado do Rio, o Fluminense aparece colado no Vasco (até na frente) em alguns municípios.
    Na verdade a maioria das pesquisas indica esse cenário nacional de torcidas, com esse crescimento, principalmente, de Corinthians e São Paulo. E está claro que esse crescimento é nacional e não se deve apenas a grande população do Estado de São Paulo, que, por óbvio, é enorme desde muito tempo.

    Estão aí os resultados de pesquisas, de redes sociais, de Timemania, de tudo, são reflexos de 15 anos de administrações incompetentes, que erraram demais. O Vasco está perdendo disputas diárias por novos torcedores em todo Brasil há muito tempo, está perdendo o principal capital de um clube, que é a torcida.

  3. Incrível como ainda aparece gente tentando atenuar essa vergonhosa campanha no Campeonato Brasileiro. São torcedores de dirigente, de grupo político, não do Vasco.

    • O senhor está enxergando o que quer enxergar. A campanha é péssima sim diante da grandeza do Vasco. Mesmo que vençamos todas até o jogo 38. Mas se o rebaixamento (dado como certo pela mídia e pelos matemáticos) for evitado, o trabalho não pode receber a mesma avaliação da opção de cairmos. Isso para mim é lógico. Da mesma forma, sermos eliminados na Copa do Brasil agora nas quartas terá uma avaliação diferente da possibilidade (remotíssima depois do péssimo jogo de ontem) de prosseguirmos à semi, à final e de levarmos a taça. Creio que seja meio óbvio que as pessoas avaliem os resultados dessa maneira. Ou estaria enganado?

      • Concordo que, não cair merece uma avaliação melhor que cair.

        Mas, exatamente pelo tamanho do Vasco, ficar em 16º, pela terrível campanha que estamos fazendo, não merece mais que uma nota 1. E cair é algo que um zero absoluto não é preciso para avaliar.

      • Caindo ou não caindo, a vergonha já está feita! Fomos feito papel de palhaços na rua!! Perdemos torcedores novos com certeza. Além disso quebramos vários recordes negativos!

      • Eu enxergo o óbvio, qual seja, a campanha no Campeonato Brasileiro de 2015 é uma vergonha. É um fato. E mesmo que consiga um milagre, não deixará de ser péssima e vergonhosa.
        O Vasco vem mal demais há 15 anos com apenas isolados momentos de alegria.

  4. JC Barbosa, creio que dos dispensados, apenas o Douglas surpreendeu (até o momento) no Grêmio. Mas lembre-se que a torcida já o estava perseguindo, principalmente, pela sua aparente falta de compromisso atlético (a tal barriguinha de chopp).

    Quanto ao Sandro Silva, foi a única forma de contornar um erro do passado recente. Uma rescisão poderia ser mais custosa.

    Termino dizendo que não dá pra voltar o tempo atrás e saber se a atual gestão iria até o fim somente com o grupo do Carioca. Na prática, não funcionou – e isso é o que importa – e tiveram que correr atrás de reforços que nem sempre corresponderam.

    Veja o time que disputou a final do Carioca: Silva, Madson, Luan, Rodrigo e Cristiano; Serginho, Guinazu, Dagoberto e Julio dos Santos; Rafael Silva e Gilberto.

    Agora, observe o time que entrou em campo domingo e que pode ser considerado o titular de Jorginho: Silva, Madson, Luan, Rafael Vaz (Rodrigo estava suspenso) e Julio Cesar (Cristiano foi barrado); Serginho, Bruno Gallo (Guinazu está contundido e, talvez, barrado), Nenê (Dagoberto está afastado) e Andrezinho (o titular Julio dos Santos estava suspenso); Rafael Silva (será que o Jorge Henrique irá voltar como titular? Merece?) e Leandrão (Gilberto foi negociado).

    Ou seja, praticamente, tivemos três (apenas três!) grandes mexidas: as saídas de Cristiano, Guinazu e Dagoberto, que inegavelmente, deram mais mobilidade ao time nesta altura do campeonato, muito embora, em alguns poucos momentos lúcidos da competição, os dois primeiros, principalmente o argentino, tenham merecido a titularidade.

    Talvez o enorme erro tenha sido ficarmos tantas rodadas (foram dez) sem um centroavante e, apesar das firulas e erros que apontou, de não termos alguém como o Nenê como camisa 10. Um jogador que tenha regularidade física e técnica.

    O discurso da competência é também muito utilizado por mim. Não sabemos ainda como será essa reação atual do Vasco, mas formulo duas hipóteses bem distintas e proponho que reflita comigo de como dependerá do fechamento de temporada para que possamos dar uma nota para o ano do futebol do Vasco.

    1) Vasco vence a Copa do Brasil e escapa do rebaixamento. (nota 10)

    2) Vasco eliminado nas quartas e rebaixado. (nota zero)

    Obs: um recado ao Diogo: “Seja menos maniqueísta. Eurico e Roberto passarão. Calçada já passou. Até Ciro Aranha já foi. O Vasco ficou.”

    • 1) Douglas não surpreendeu. Ele está jogando na média de sempre e mesmo no Vasco foi o jogador mais importante quando esteve no time. Se ele não tinha motivação de sobra, podemos culpar o Dinamite (que não pagava salários). Ele foi dispensado e a referência técnica trazida foi o Marcinho.

      Muitos dos outros dispensados podem não aparecer, até pq estão na Série B. Mas dificilmente Diego Renan seria pior que o Christianno, Pedro Ken pior que o Lucas (ou mesmo o titular Serginho), Edmilson disputou o Paulista e fez mais gols na competição que nossos atacantes no Carioca. E por aí vai. A questão é que a diretoria dispensou um monte de jogadores sem tentar negociar para trazer substitutos de menor qualidade.

      2) O fato do time campeão do Carioca ser pouco diferente do que está jogando hoje deixa ainda mais clara a incompetência da diretoria. Contratou dúzias de jogadores que não resolveram nada e muitos dos campeões cariocas que ainda jogam vieram da gestão passada. Isso sem falar no completo equívoco de contratar o Celso Roth e, pior, mantê-lo por tanto tempo no comando.

      • JC, embora tenha a mesma impressão de vc sobre as atuações dos nossos atletas (uma discordância aqui, outra acolá), discordo quanto ao Douglas. Sua última boa temporada na Série A foi a muito tempo atrás. No Vasco, ele fez um Carioca digno em 2014, embora quase não tenha feito gol com bola rolando, mas fez uma razoável Série B. Se ele foi um dos melhores do time, foi porque o Vasco fez um campeonato abaixo da crítica. Ate Kleber se destacou em algum momento, outro que não joga uma Série A decente faz tempo.

        Sempre achei Pedro Ken fraco. Até hoje nem mesmo a posição dele é sabida. Às vezes joga como um segundo volante, noutras mais adiantado. Em qualquer uma delas, é insosso. Lucas parece que não emplacará, porém, é mais barato do que o primeiro. E mais novo.

        Diego Renan é um chinelinho dos maiores. Jamais conseguiu ser titular por muito tempo em clube algum.

        E, sinceramente, Edmilson está aposentado…

        Mas concordo que atletas como Diguinho (chinelinho), Seymour, Biancucchi e, até mesmo, Herrera tenham sido contratados a esmo. Ponto negativo da diretoria.

        Reafirmo, então, que a falta de um jogador de meio campo criativo e de um atacante de referência dentro da área tenham sido cruciais para a queda técnica* que o Vasco estava vivendo em todo o campeonato e sabemos da dificuldade da diretoria em encontrar atletas para suprir essas lacunas.

        A tentativa de elevar Jhon Cley a essa missão foi um tanto arriscada (e observamos que não deu certo) e a falta de coragem de lançar Renato Kayzer um pouco antes também pode ser creditado na conta dos técnicos, inclusive do início claudicante de Jorginho.

        *Esmiuçando a queda técnica: Silva se contundiu; depois disso, ele, que não é de frangar, afundou o time contra o Palmeiras, esteve ausente por vários jogos; Charles, eleito por Doriva para substituí-lo, foi uma piada; Jordi também deu (ou ainda dá) seus vacilos; Christianno, que já era considerado o mais fraco do time campeão Carioca, caiu mais de produção e, pior do que isso, Julio Cesar chegou muito mal ao clube e nem conseguiu barrá-lo de início; Madson e a dupla de zaga começaram a falhar muito; se já não tínhamos um muito presente no Carioca (Dagol), ficamos sem camisa 10 no Brasileiro; Gilberto entrou num jejum absurdo e pediu o boné; Riascos, que não é centroavante, foi lançado com essa dura missão, e só porque fez dois gols logo em sua chegada, foi cobrado como se um homem-gol fosse; Rafael Silva caiu em um ostracismo violento.

        Barbosa, temos de admitir que foram inúmeros problemas, sem que isso justifique AINDA a ridícula campanha que se desenvolveu.

      • A questão não é simplesmente falar impressões sobre a qualidade dos jogadores dispensados. É preciso comparar com os que chegaram para substituí-los.

        Há algum camisa 10 melhor que o Douglas no elenco atualmente?
        Christianno é melhor que o Diego Renan?
        Edmilson está aposentado, mesmo tendo mercado no exterior, tendo marcado mais gols que qualquer um dos nossos atacantes esse ano e sendo mais novo que o Leandrão?

        Jhon Cley, como a maioria dos jogadores jovens, oscila. E mesmo assim, foi o armador que mais rendeu no Carioca (não me lembro de cabeça agora, mas tinha feito um levantamento e ele foi meia que mais participou de gols no Estadual).

    • Como assim, parceiro? O Vasco apenas consegue escapar do rebaixamento no campeonato brasileiro (depois de ter sido humilhado em vários jogos) e a diretoria ganha nota 10? Parece-me que a conta é outra: ganhar a copa do brasil: nota 10; não ser rebaixado no brasileiro: nota 2. Média do desempenho nos dois campeonatos: nota 6.

      • De fato, coloquei assim para polemizar. Nem mesmo na melhor de nossas temporadas em toda a história merecíamos nota 10, pois jamais ganhamos todas as competições que disputamos!

      • Sua “matemática”, Leon, é a VERDADEIRA.
        E tem mais duas “questões também verdadeiras”:
        (1) “Escapar” do rebaixamento significa apenas um “alívio temporário”. Com já vimos na PÉSSIMA gestão anterior dos “casaquildos”, lutar contra rebaixamentos faz parte do cotidiano desta patota (que o digam, infelizmente, além do próprio Vasco, o Olaria e o Bahia). A Caixa e o cara do Guaravita, já AVISARAM que vão “fechar o cofre” no próximo ano. Para se montar um elenco QUE PRESTE (coisa que a gestão 2001-2008 e a atual desta patota NUNCA NOS PROPORCIONOU), com a PÉSSIMA IMAGEM do presidente FANFARRÃO E INCOMPETENTE, onde a nova/VELHA diretoria arranjará patrocinador diferente dos RIDÍCULOS, PATÉTICOS, HUMILHANTES e AVILTANTES Habibs e MRV…???
        (2) Mesmo neste torneio onde “tudo pode acontecer”, precisamos “nos lembrar” que, com este elenco de “refugos, esquecidos e BARANGAS”, um “título” da Copa do Brasil ainda não dá nem para ser considerado “um sonho”… É um DELÍRIO, mesmo! E se o MILAGRE acontecer, por INCOMPETÊNCIA dos favoritos (que trabalharam COM COMPETÊNCIA, para serem “favoritos”, e não “zebras”, como nós), deverá ser considerado exatamente isto: um “MILAGRE”; e não um “feito” da nova/VELHA diretoria. Porque, como todos os que tem capacidade de discernimento ATIVA bem o sabem, DIRIGENTE NÃO GANHA TÍTULO. Quem ganha título, é elenco QUALIFICADO. E NÃO PODEMOS NOS CONFORMAR em terem NOS TRANSFORMADO em “possíveis” Juventude e Santo André da vida.

      • Nem eu, Digo. Sou Vasco. E no Vasco sempre haverá dirigentes. Sejam eles do nosso gosto e simpatia ou não. Eu até queria ser um deles. Mas não tenho preparo para tal missão que sei que deve ser muito difícil de ser cumprida. Seja pelos que gostamos ou não. E, como vascaínos, temos sempre que torcer para aqueles que lá estão, sejam bons ou não, tenham a nossa simpatia ou não, acertem em suas decisões.

    • Sobre o Sandro Silva, não sei se rescindir poderia sair mais caro, mas fazer oq a diretoria fez não resolveu o problema, muito pelo contrário dobraram o tempo q o cara ficaria no clube.

  5. Valeu pelo post, JC! Excelente, como sempre.

    É claro que iria aparecer um defensor do Eurico para tentar justificar o injustificável. Mas, como se isso não bastasse, ainda nos brinda com um “só pra pôr lenha na fogueira após a nítida reação do time no campeonato”. Como se a reação do time apagasse todos os erros cometidos por esta diretoria. É o que venho dizendo: não cair é obrigação e não é nem motivo de comemoração, nem apagará o desastre que é a gestão Eurico.

    Mas é aquela coisa: se não cair (o que ainda está bem longe de se tornar provável), essas malas encherão este espaço e o blog da Fuzarca para dizer que nós não somos torcedores, que estava tudo planejado, que só houve acertos e que Eurico é Deus… O único alento para ter estômago para suportar uma coisa dessas é que isto só acontecerá se o Vasco não tiver caído.

  6. Lógico que ng pode.provar…mas alguém levou algum por fora tanto na transação do clay como na permanência do Sandro..mas tem que vender mesmo JC… Temos que pagar 8 milhões para o Zé do táxi….é só fazer uns 5 ou 6 clays que paga a dívida…. É foda amigo… Abração JC

  7. a situação é muito simples. Jhon Cley foi vendido pq houve a oportunidade. Dizer que ele era revelação da base é forçação total. O cara jogava nos profissionais do Vasco desde 2012 e a única coisa que fez nesses quase 3 anos foi aquele gol nos flores. convenhamos… muito pouco. se fosse bola, teria sido negociado por muito mais com o mercado europeu. mas foi pras arábias pelo valor certo, é mais uma grana q entra no Vasco graças à nossa diretoria saber aproveitar o momento. não esqueça: não é o romário, o edmundo, o mazinho, o bismarck e outros craques produzidos pelas gestões do dr. Eurico. é só o jhon cley. foi pra arábia pq não tem bola pra mais. vendemos bem, vendemos certo.

    sobre o sandro silva, eu não sei de onde você tirou essa informação de q ele receberá 3 milhões até o fim do contrato. e citar o empresário dele e do Nei não faz o menor sentido. os cara foram contratados pela diretoria anterior! eles permaneceram pq no início do ano precisávamos de um elenco! algo q não tínhamos, graças aos escalabros da gestão anterior.

    mas é engraçado: você cita a venda do jhon cley e a situação do sandro silva só pra pôr lenha na fogueira após a nítida reação do time no campeonato. te pergunto: o q vc ganha com isso? pq não exaltar bruno gallo (q vc criticou muito antes de vir), leandrão, nenê, jorginho, etc… contratações do dr. Eurico q deram certo e estão colocando o vasco onde o clube merece? pq sempre colunas em tom acusatório? se lamuriar pela venda do jhon cley? faça-me o favor. quanto vc acha q ele valia? 15 milhões de libras esterlinas?… affs….

    • Pra começo de conversa: gente como vc só pode ser burra ou mal intencionada. Prefiro crer na burrice. Sendo burro, nada impede vc de ter caráter. No segundo caso, é impossível.

      Mas vamos lá.

      1) Vc tem todo o direito de achar que o Cley é ruim e foi vendido por um preço justo. Mas a pergunta é pq vender um jogador de 21 anos por um valor que não pagará nem metade dos salários de um jogador de 31 anos afastado do elenco há quase dois anos (e dispensado pelo Bragantino nesse meio tempo)? Ou vc acha que os R$ 180 mil/mês para Sandro Silva foi um acerto da diretoria?

      2) Tirei da imprensa: R$180 mil/mês. Como ainda faltam 17 salários para ele receber sem jogar, faça as contas.

      3) Não faria sentido citar o empresário se ele não tivesse conseguido um acordo maravilhoso – de receber sem jogar – para seus dois jogadores no elenco. E olha que nem quis falar das ligações que o Sr. Orlando Almeida tem no mundo do futebol, pq aí sim a parada ia começar a ficar estranha.

      4) Entendi…a gente precisava de elenco, então o correto seria negociar com dois jogadores uma extensão de contrato de um ano, ainda assim pagá-los acima do teto estabelecido para depois não utilizarmos nenhum dos dois (e, veja bem, os dois concorriam com “craques” como Jean Patrick, Victor Bolt, Lucas e que tais). A diretoria aí mostrou muito critério e um excelente poder de negociação. Palmas pra ela!

      5) Não quis por lenha em fogueira nenhuma. Respondi uma pergunta muito pertinente de um leitor que torce para o VASCO e não se preocupa em babar o ovo de dirigente incompetente. Não é pq conseguimos sair da lanterna da competição que os outros erros devem ser ignorados. Isso, claro, pra quem se preocupa com o Vasco (ou para quem não é burro ou mal intencionado). E o que eu ganho? Apenas algum alívio por poder falar do descalabro que toma conta do clube pelo qual torço.

      6) Antes de exaltar contratações feitas no desespero (e muitas jogando a “responsabilidade” idiota que montou um elenco horrendo) depois de mais da metade do campeonato ter sido jogada no lixo com a pior campanha da história do clube, eu teria que falar das mais de vinte contratações bizarras feitas por essa diretoria inepta.

      7) “estão colocando o vasco – com caixa baixa sua – no seu devido lugar”. Que até agora é a VICE-LANTERNA a CINCO PONTOS do 18º colocado. Pois é. Gente medíocre, ambições idem.

      8) Nunca falei que o Cley merecia uma negociação milionária nem que ele é craque (e nem acho que seja). Mas, repetindo, só sendo um completo tapado (ou alguém que ganha algum benefício para defender a diretoria) pra achar que um jogador de 21 anos e ainda com potencial para se desenvolver merecia ser negociado pela metade do valor que o clube pagará a um veterano afastado do time duas vezes. Repetindo, pra que vc consiga entender mesmo com toda sua limitação: SÓ SENDO MUITO BURRO PRA ACHAR QUE FOI CERTO VENDER O CLEY POR R$ 1,5 MILHÕES E PAGAR 180 MIL/MÊS ATÉ DEZEMBRO DE 2016 PARA O SANDRO SILVA.

      • O caso do Sandro Silva foi o seguinte: eles fizeram um acordo com o atleta para diminuir pela metade o seu salário (de 180 para 90) e, em troca, esticariam o seu contrato pelo dobro do tempo (faltava um ano e foi para dois). A estratégia foi apenas adequar o salário ao topo pago atualmente (150 mil).

      • Bom. Nessa questão do valor do salário do Sandro Silva, fica o quanto vc diz que é contra o que a matéria citada no post diz.

        Mas é genial essa. Dobra-se de um lado, divide-se por dois de outro. O resultado? O clube continua gastando uma fortuna com um jogador que foi afastado por três treinadores diferentes, que foi dispensado por Boa Esporte e Bragantino e que ficará pelo menos até dezembro no come-dorme financiado pelo Vasco.

        O que, para alguns, não é problema. Afinal de contas, mesmo que não traga qualquer benefício para o clube, Sandro Silva está dentro do “teto salarial” do clube. Teto esse que, aliás, nem existe mais.

        Excelente, não?

      • JC Barbosa, gostaria apenas que me dissesse como vc faria se pegasse o quadro que o Eurico e sua turma pegaram.

        Vejam que elenco a diretoria passada deixou para a atual:

        Goleiros:

        Martín Silva, Diogo Silva e Jordi (base)

        Laterais direitos:

        André Rocha e Carlos César

        Laterais esquerdos:

        Diego Renan, Marlon e Lorran (base)

        Zagueiros:

        Luan (base), Rodrigo, Douglas Silva, Rafael Vaz e Anderson Salles

        Volantes:

        Aranda, Guinazú, Danilo (negociado), Fabricio, Fellipe Bastos

        Meias:

        Douglas, Jhon Cley (base), Maxi Rodriguez, Montoya, Dakson, Guilherme Biteco, Pedro Ken

        Atacantes:

        Thalles (base), Lucas Crispim, Kleber, Rafael Silva, Marquinhos do Sul (base), Yago (base), Edmilson, William Barbio

        ——————————————————————————–
        Time Base na Série B 2014: Martín Silva, Carlos César, Luan, Rodrigo e Marlon; Fabricio, Guinazú, Douglas, Dakson; Thalles e Kleber. Técnico: Joel Santana.
        ———————————————————————————

        Portanto, dos 16 atletas que ficaram para o ano corrente, 8 eram provenientes da base do Vasco, sendo apenas Luan titular absoluto. A promessa Thalles até hoje não conseguiu mostrar a qualidade que dele se esperava.

        Além de Luan, do time base que conquistou o acesso, 3 titulares prosseguiram na temporada atual: Silva, Rodrigo e Guinazú. Assim sendo, para a temporada 2015, era necessária a aquisição de 7 titulares.

        Os outros 5 jogadores que permaneceram e, que não estavam cotados pra receber a titularidade, foram: os zagueiros Douglas Silva, Anderson Salles, Rafael Vaz, Montoya e o atacante Rafael Silva.

        Resumindo: para a nova temporada, além do técnico e de sete titulares, teria de ser contratado, praticamente, um grupo completo de reservas e mais alguma sobra. Ou seja, pelo menos, uns 20 jogadores. Isso tudo quase sem recursos financeiros, com orçamento de time médio.

        Agora a pergunta final: com o elenco atual desde o início do campeonato brasileiro, vc acredita que estaríamos lá embaixo da tabela?

      • 1) vc se esqueceu que a diretoria dispensou vários desses que queriam permanecer no clube. Alguns deles, até aceitariam diminuir o salário.

        2) se esqueceu de citar que, entre os dispensados estavam, por exemplo, Edmilson (artilheiro da equipe no ano anterior, e que, mesmo aceitando diminuir o salário foi dispensado. Nenhum dos atacantes contratados esse ano chegou perto dos 14 gols que ele marcou em 2014), Pedro Ken, Douglas, Diego Renan e Carlos Cesar. Nenhuma das contratações feitas pela diretoria compôs o elenco à altura dessas saídas.

        3) Com um orçamento menor que esse de “time médio”, Atl-PR, Sport, Chapecoense, Ponte Preta, Coritiba, Avaí, Goiás e até o Figueirense fazem campanhas melhores que a nossa.

        4) acontece que o elenco atual NÃO ESTAVA desde o começo do Brasileiro. E isso pq uma diretoria sem noção da realidade acreditou que o time do Carioca seria o bastante para a competição. Não foi e não seria. Aí, no desespero, começou a contratar quem aparecesse no mercado, ignorando a tal da “responsabilidade financeira” (ou seja, o tal “orçamento de time” médio já ficou no passado) e deixando o time na situação em que está agora.

        5) Agora a minha primeira pergunta: se a diretoria fosse mais competente, não tivesse feito umas 20 das 34 contratações que fez, não estipulasse o teto salarial (que no final das contas foi pro espaço) e procurasse contratar visando a QUALIDADE dos jogadores e não a QUANTIDADE, vc não acha que teríamos um time mais competitivo desde o começo, gastando menos e sem vermos o time a 5 pontos do antepenúltimo colocado da competição faltando dez rodadas para o fim do Brasileiro?

      • É incrível e revoltante a capacidade q as euriquetes têm de deturpar a realidade tentando justificar o injustificável!!! Puta merda!!

  8. Da série, nem Froid explica! Não que eu ache o Jhon Cley um craque, mas vender o cara a preço de banana pra não pagar sequer UM mês de salário do elenco, não adianta de nada! O elenco continuou inchado da mesma forma.
    Mas no passado, coisas como essas eram o cumulo do absurdo, que so mostrava como o dina era ruim. Hj, sequer vejo ser questionado.

  9. Eu consigo responder a essa pergunta, é simples, são somente maracutaias feitas para embolsar a grana do Vasco pelos seus dirigentes, são todos uma verdadeira corja instalada no clube a décadas e que foi interrompida para um gestão ainda pior e mais larápia do bombinha.

    Assim como nos desvios da Petrobras e em toda corrupção que assola o país todos nós sempre soubemos disso, ao menos os mais esclarecidos. Somente os ladrões e ou políticos fingem surpresa diante dessas aberrações. Afina quem não sabe que para se conseguir um contratinho nessas estatais é preciso molhar a mão de alguém?

    A “indignação” que essa gente sente ao se tocar no assunto é a mesma que um Eurico sente ao se acusá-lo de algo, o rei desse tipinho de gente é o Maluf, muitos aprenderam com ele sendo o Lula o seu principal pupilo, é como eu digo, eu escrevi essas coisas mas eu não sei de nada, assim como Lula!

  10. A “pergunta em questão” pode até ser difícil, mas a que vou fazer, todo VERDADEIRO VASCAÍNO (que não TORCE E “DISTORCE” a favor de dirigente INCOMPETENTE) sabe a resposta:
    – O que “esperar” desta nova/VELHA diretoria (EXPLICITAMENTE INCOMPETENTE), que, além do RETORNO DA VERGONHA, já custou aos COMBALIDOS cofres do clube, em apenas 9 meses no poder, 11 MILHÕES DE REAIS em “dívidas perdoadas e confessadas”…???!!!

    • Esperar!?
      Nada.
      Tirar eles de lá rapidamente. Isso é só o começo, se eles ganharem tudo que estão planejando, o VASCO vai pra série d e será o clube mais endividado do planeta.
      E o salário OOOooo…

      Oh!

  11. Definitivamente a lógica não faz parte dessa diretoria. Fica difícil aceitar passivamente essas coisas. Está claro para mim que o negócio é a perpetuação da família no poder. Conseguir separar o Vasco de sua diretoria é um exercício diário e contínuo. Torcer para o Vasco e querer que a diretoria caia fora é a grande contradição em que nos metemos (ou nos meteram).

  12. Há no Vasco dezenas de perguntas como essa e nenhuma resposta é plausível!
    Alguns jogadores jovens e promissores saíram com a chegada do euricu e chegaram vários trintões perebas oriundos de série B, C, D.

  13. Pingback: Menos um | Blog da Fuzarca

Concorda, discorda, gostou? Opine você também.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s