Fuga

balanceFazendo um resumo da resenha que escrevi para o Blog da Fuzarca sobre a derrota para a mulambada, o que pudemos ver foi:

  • Que, na prática, o resultado não muda praticamente nada para nós em termos de classificação;
  • Que fizemos um jogo parelho e que sem nossos erros individuais poderíamos ter ganhado;
  • Que praticamente não há diferença entre as duas equipes e temos totais condições de vencê-los caso tenhamos confrontos decisivos.

Mas também ficou claro um problema muito sério da nossa equipe: não temos opções no banco que possam mudar os rumos de uma partida ou mesmo que mantenham o nível dos titulares. Que, diga-se de passagem, nem são tão bons assim para assegurar a titularidade.

Tirando as falhas de Martín Silva e Guiñazu, talvez essa tenha sido o que fez a diferença para o Framengo. Os mulambos apresentam um conjunto melhor porque mantiveram sua base do ano passado, incluindo aí seu treinador, e trouxeram reforços – na real acepção da palavra – pontuais. Enquanto isso, nós promovemos uma caça às bruxas no elenco e trouxemos jogadores como o Christianno, que se não consegue ser melhor que um Diego Renan, não pode nunca ser chamado de reforço.

Enquanto nós temos alguns titulares que só sustentam essa condição por falta total de opção, eles têm Marcelo Cirino como titular e reservas como Paulinho e Everton. E o que pudemos fazer durante o jogo? Dagoberto precisou ser substituído e entrou o Bernardo, um jogador que só consegue ser aceito no Vasco. Saiu Jhon Cley e entrou Yago, que até agora só conseguiu mostrar raros lampejos. Sai o Serginho e entra o Thalles, que até pode ter potencial, mas que também vive da lembrança de algumas boas partidas na Série B e da sua condição de jogador de seleção de base. Tais alterações do Doriva não poderiam nunca resolver o principal problema do time, que é a praticamente inexistente criatividade no meio. Tanto foi que, mais uma vez, só conseguimos marcar um gol em lance de bola parada.

A dura realidade é que a derrota para o mediano time mulambo serviu para mostrar quão ilusória era a nossa liderança. Era o que eu dizia há algum tempo: estarmos no topo da tabela era muito mais uma amostra do baixo nível do Estadual do que uma prova da qualidade da nossa equipe. A verdade é que, mesmo com a invencibilidade de dez jogos e a liderança por algumas rodadas, esse time do Vasco não fez mais que duas boas partidas em todo campeonato. E, por mais que não se queira admitir, ainda não conseguiu fazer uma partida no nível das melhores atuações do detestável time do ano passado.

Os entusiastas da atual diretoria, que andavam saltitando de alegria diante da eficientíssima política de contratações desse ano, que em tempo recorde montou um time “líder e invicto”, deveriam tomar a derrota de ontem como um choque de realidade. Mas não acredito que isso aconteça. Ainda temos o que melhores e podemos até ser campeões? Claro que sim, até porque nenhum dos concorrentes está com essa bola toda. Mas achar que o elenco montado foi o melhor possível, que temos um bom grupo e que a diretoria merece aplausos e elogios pelo trabalho feito é mais que exagero. É fuga da realidade.

Anúncios

12 pensamentos sobre “Fuga

  1. JC, realmente acho o Gilberto melhor que o Edmilson. Acho o Madson melhor que o André Rocha e o Júlio dos Santos uma boa peça no meio de campo. O Douglas do primeiro semestre tinha vaga nesse time, mas o do segundo semestre não. O John Cley até vc tem elogiado, nem vem… O Dagol tem tudo pra ser melhor que Reginaldo e Everton Costa. Nosso jogo contra o Fluminense nesse ano foi nosso melhor momento. Contra o Flamengo tivemos bons momentos também. Não vejo esse timaço todo de 2014, exceto por alguns lampejos na estréia do Douglas contra o Flamengo (perdemos o jogo) e nas semis contra o Fluminense e nas finais contra o Flamengo. Mas em nenhum momento fomos soberanos ou jogamos o melhor futebol do campeonato. Ainda assim merecíamos ter saídos campeões. Nosso time atual é bom? Ainda não… Não flui, parece preso, por vezes inseguro, tem muita dificuldade pra armar, depende muito da bola parada. Mas isso mostra treinamento e com o tempo pode e deve acertar. Pro Brasileiro vai ter que vir um meia armador, óbvio. Mas calma galera. Não é por falar mal do Eurico. Falem o que vcs quiserem, galera. Nem aí. Só acho que esse clima de pessimismo é contagioso. Aí começa a aparecer um monte de babaca dizendo que não põe mais a camisa, que tem vergonha, que não agüenta mais ser zoado… Sei que não é o seu caso, mas vc sabe. Sempre chove comentário desses caras. Isso também apequena o time. Esse time bem trabalhado, com paciência, reforçado com calma, tem tudo pra dar muitas alegrias a nossa torcida. Não é pelo Eurico, cara. É pela gente, que merece isso. Vida que segue…

    • Como eu disse, a questão da opinião é baseada na esperança de que o time vá dar certo.

      E eu não falei em momento algum que o time de 2014 era um timaço. Não era, apenas teve apresentações melhores que qualquer uma das apresentações do time esse ano. O que não chega a ser nenhuma vantagem.

  2. Se eu estivesse ficado um ano em Marte, sem comunicação e voltasse para a Terra no exato momento para assistir o jogo, e com base nas trapalhadas do time, eu poderia afirmar com muita convicção, que o técnico era o Adilson Batista, e o presidente era o Bananamite…incrível!!!!

  3. Discordo concordando, meu amigo… Discordo em fuga da realidade, concordando com a sua perfeita análise do que foi o jogo de ontem e o que vc descreveu nos post. Há o que elogiar, há esperança… Mas obviamente não compartilho desse ufanismo em relação aos feitos da diretoria. Só acho que o trabalho está sendo bem feito, que foi montado o melhor time possível, que o resultado está sendo bom. É questão de perspectiva: otimista como a minha (euriquista segundo a sua ótica), ou mais crítica como a sua, ou ainda mais pessimista como a de alguns. Sou a favor da atual gestão sim, mas sou antes de tudo VASCO!!! Grande abraço

    • Otimista, eu sou. Mas o otimismo é uma questão de torcida, e eu sempre acredito no Vasco. Agora, achar que o trabalho foi bem feito? Ficando apenas com os titulares desse time, vc acha que Pedro Ken não seria titular no lugar do Serginho? Nem que Diego Renan seria titular no lugar do Christianno? Ou acha que Douglas não teria vaga nesse meio de campo?

      Como eu disse, estar bem no Estadual não significa que temos um bom time ou que o trabalho foi bem feito. Não é questão de ser pessimista: basta ver que, nesse momento, o Madureira está na nossa frente. E o Canil, que não tem grana pra nada e montou a duras penas um time pra Série B, lidera e liderou a competição pelo maior número de rodadas.

      • Mas aí é que está a questão de perspectiva: o Madson é melhor (muito) do que o horroroso André Rocha e todos os outros laterais direitos do ano passado. O Gilberto é muito superior ao Edmilson. O Júlio dos Santos é melhor do que o Douglas (embora talvez jogassem juntos) e o John Cley é promissor e prata da casa. O Dagoberto tem tudo pra ser bem melhor do que o Everton Costa ou o Reginaldo. Mas concordo que o Pedro Who (?) e o Diego Renan seriam muito úteis nesse elenco. O Botafogo não está apenas na nossa frente (dois pontos), está na frente de todo mundo (Flamídia e Flunimed). Já o Madureira é aquele clássico cavalo paraguaio. Nosso time não é um timaço nem essa diretoria é isenta de defeitos ou erros, mas como já disse um de seus “parcos leitores” (dos quais não abro mão de fazer parte): julgar essa gestão antes de um ano pode ser considerado no mínimo precipitado. Obviamente não a isenta de críticas. Na boa, acho que é um pouco de “enxergar o copo meio cheio ou meio vazio”… Mas é claro que isso como eu disse, é questão de perspectiva. Ainda assim vc tem sim razão em muitas das suas observações. Mas como sempre digo: estamos do mesmo lado, amigo. VASCO SEMPRE! Grande abraço

      • Claro que estamos do mesmo lado. Mas todas as suas perspectivas são baseadas unicamente na esperança, né? Pq fora isso, não vejo muitos elementos para vc afirmar muitas das coisas que vc disse.

        O Gilberto é superior ao Edmilson? Nem na carreira e nem mesmo no Carioca (lembrando que o Edmilson foi o artilheiro do Estadual ano passado).
        Julio dos Santos, além de nem jogar na mesma posição do Douglas, nem de longe tem a mesma qualidade na armação de jogadas.
        A comparação mais exata seria entre Douglas e Cley. E quando vc o chama de “promissor”, nem precisamos comparar.
        Dagoberto ainda não jogou e precisará fazê-lo para ser mais útil que o Everton Costa ou Reginaldo no Carioca do ano passado.
        Mesmo a comparação entre o horroroso André Rocha e Madson, que com o tempo certamente deverá se concretizar, não é muito favorável ao segundo se compararmos o desempenho no Carioca: o Rocha acertou uma boa quantidade de cruzamentos no Estadual (e inclusive marcou um gol na competição) e o Madson até agora só acertou dois.

        O time ainda pode evoluir e isso tenho falado isso sempre. Mas há um fato inegável: a equipe do ano passado também foi montada da noite pro dia, tendo inclusive passado por uma renovação ainda mais profunda que a do time atual. Tinha um técnico mais fraco que o que temos hoje. E, ainda assim, o Vasco de 2015 não fez sequer uma apresentação que chegasse perto do nível das melhores apresentações do Vasco de 2014 no Estadual. E ano passado, a essa altura do campeonato, o Vasco já estava com um time muito mais pronto que o de hoje.

      • Vai me desculpar, mas percebe-se claramente um viés político nas suas análises. Diego Renan é melhor do que quem? Edmilson foi parar no Red Bull, Douglas é constantemente vaiado no Grêmio. Seu ódio pelo atual presidente faz com que as análises sejam extremamente tendenciosas e eivadas de críticas negativas, ao passo que em boa parte da catastrófica gestão anterior, o olhar do amigo era bem mais complacente.
        Levando em consideração o caos em que o clube foi deixado, qualquer vascaíno com o mínimo de bom senso considera o trabalho da atual diretoria bom. Salários em dia após assumir o clube com 3 meses em aberto, certidões negativas, Capres, técnico promissor, volta da representatividade, time competitivo e guerreiro. Para pouco mais de 90 dias, considero o trabalho promissor. Pena que o ódio impeça muitos de enxergarem o mesmo.

      • Falar que o time montado não é bom e que não temos banco é “viés político”? Acho que o viés está na sua interpretação do que leu.

        Sobre o resto:
        Diego Renan é melhor que o Christianno.
        Edmilson foi parar no Red Bull. E o Gilberto veio de um time do Canadá.
        No texto está claro, para qualquer criança de primário entender: a comparação foi entre o time do ano passado e o atual no CARIOCA. Douglas poderia estar ser constantemente vaiado até no Íbis que não faria a menor diferença. Esse ano ainda não tivemos um armador que jogasse o que Douglas jogou no carioca de 2014.
        Eu considero a gestão anterior a pior da história do clube. Realmente é muita complacência. Isso mostra um fato indiscutível: pros fãs do Dotô, nenhuma crítica ao ídolo é aceitável. Ele é perfeito em tudo o que faz.
        Sobre seus elogios à boa gestão, o primeiro é algo que não passa de obrigação. O segundo, não adiantou de nada ainda, já que não se renovou o contrato com a Caixa (e não se arrumou nenhum outro, diga-se). O terceiro é ponto positivo, pena que já haja um monte de jogadores contundidos. O técnico promissor/time competitivo/guerreiro valerão de alguma coisa se o título vier.

        O trabalho da atual gestão é melhor do que se podia esperar, mas é no máximo razoável. Pena que o amor ao presidente impeça que alguns enxerguem o mesmo.

    • “Que foi montado o melhor time possível”. Eu acho que o amigo se confundiu em relação aos times. Pode está falando do Barcelona, Real Madrid, Bayern de Munique … menos do Vasco. Uma equipe SEM lateral esquerdo, meia criativo, volante com bom passe … e lembrando: Rodrigo, Martin, Luan, Guina, … são remanescentes, ou seja, o time ainda poderia ser pior. Por exemplo a zaga com Aislan e qualquer outro. Então, meu caro, o melhor time possível, acredito que seja um pouco de exagero ou excesso de idolatria pelo dotô.

  4. É isso !! E ai que digo que no Brasileiro vai ser difícil, pois não temos elenco. Gosto do Doriva mas ele não pode continuar levando bancos fracos que não vão mudar nada em campo ou pelo menos desempenhar um papel minimamente aceitável na partida. Não dá pra ter Bernardo, Yago, Thalles, Cristiano e outros ai que não acrescentam numa partida. Eles precisam ser afastados e o Doriva começar a TREINAR com eles suas funções. Na Inglaterra (os times fracos) você vê muitos jogadores fracos mas em campo desempenham muito bem seus papeis TÁTICOS. Na próxima partida teremos 8 desfalques, e agora teremos uma prova de quão fraco estamos. Pelo andar da carruagem, ele irá a campo com Jordi,Madson,A.Salles,Rodrigo,Lorran;Lucas, V.Bolt,Julio,J.Cley;Marcinho e Thalles. Não é o ideal e mostra que ele não está tentando buscar soluções pelo menos pra amenizar O PROBLEMA.

Concorda, discorda, gostou? Opine você também.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s