Vergonha e mérito

reizinho

A ridícula campanha feita pelo Vasco nessa igualmente ridícula Série B tem feito a torcida vascaína passar por um constrangimento nunca antes imaginado. Isso explica a raiva, o desespero e a confusão dos torcedores ao falar do “time“. As aspas que usei agora, acredito que todos tenham entendido. A confusão talvez não. Mas explico.

Quando vemos uma atuação medíocre do time do Joel como na derrota para o Ceará no último sábado, dizemos que foi uma vergonha e que não merecemos subir para a Série A em 2015. E é aí que está a confusão: perder como perdemos é indiscutivelmente uma vergonha; mas isso não quer dizer que não mereçamos voltar à elite.

O que os vascaínos têm invariavelmente confundido é a história, a tradição e o porte de um clube como o Vasco e seu desempenho no Brasileiro. Diante do nosso passado, estar na segundona e subir sem ser campeão é humilhante. Mas em uma competição em pontos corridos, só NÃO MERECE subir quem fica abaixo da quarta colocação. Sob esse critério, o Vasco merece sim o acesso, mesmo que nossa terceira colocação seja fruto da incompetência dos outros 17 competidores. É complicado aceitar, mas há mérito em ser menos pior os outros.

Resumindo: dentro do campeonato, a campanha vascaína foi boa o bastante para nos garantir a volta à elite. Dentro da nossa história, esse Brasileiro de 2014 é certamente o momento mais vexatório em mais de um século. E uma coisa não impede a outra. O Vasco tem feito o necessário para subir. E fazer apenas isso é uma vergonha absurda.

***

Outra situação confusa e difícil de digerir – talvez ainda mais que o merecimento da nossa volta à elite – é considerar o elenco vascaíno melhor que os demais na competição. Quando se faz uma afirmação como essa, deveria ser claro que falamos “no papel“: por mais que nosso desejo seja o de mandar todos para o mais longe possível de São Januário após cada atuação abaixo da crítica, não dá pra comparar o nível e o currículo dos nossos jogadores com os da Ponte ou do Joinville (vou me ater apenas aos dois clubes que fazem campanhas melhores que a nossa).

O problema é que “nome não ganha jogo“, e isso é um argumento corretíssimo. Mas, como eu disse, quando se fala que o elenco do Vasco é melhor, estamos falando apenas de nomes. E esse argumento deixa de fora uma série de outros pontos que precisam ser analisados.

O primeiro deles é que ser o melhor elenco não significa ser um bom elenco. Tentemos esquecer todos os jogos horríveis que fizemos e sejamos racionais: os dois times à nossa frente na tabela contam com jogadores da qualidade de Martin Silva, Thalles, Maxi Rodrigues, Rodrigo, Guiñazu ou mesmo Luan, Montoya e Kleber? Se pensarmos que um dos destaques da Macaca é o Renato Cajá, podemos incluir até o trotador Douglas nessa lista. Estamos falando de um elenco montado para disputar a Série B. E se lembrarmos que um elenco é um grupo de jogadores e não um TIME (no sentido de saber jogar coletivamente), fica mais fácil entender que argumenta que, NO PAPEL, o Vasco tem jogadores que poderiam levar o título da competição com relativa facilidade.

Tenho certeza que esse argumento não seria o bastante para convencer o indignado torcedor vascaíno. Então vamos abordar outro ponto: se no papel o elenco do Vasco é muito melhor, porque em campo o time não rende o esperado?

Essa é simples. Porque temos um elenco, mas nunca tivemos um time. Para ter um time, precisaríamos ter um técnico. E não tivemos um técnico em 2014 (poderíamos até estender isso para 2013, mas fiquemos apenas nesse ano). Se você não foi convencido pelo primeiro argumento, dificilmente será por esse. Deverá pensar, como muitos fazem, que “nem Guardiola daria jeito” com esse elenco.

Vejam, não falo aqui que esse elenco é maravilhoso ou mesmo bom. Mas será que esses jogadores não poderiam fazer uma Série B mais regular? Levemos em consideração que tivemos apenas Adilson Batista e Joel Santana no comando do grupo. O primeiro, em 2013, segurou o Figueirense em posições intermediárias da mesma segundona até ser demitido, e foi aí que o Figueira deslanchou na competição até sua subida; o segundo, além de ser praticamente um ex-treinador em atividade, é fã ardoroso de esquemas defensivos. Nenhum dos dois tentou fazer o Vasco jogar de forma mais ofensiva, nem conseguiram encontrar maneiras de romper as retrancas dos adversários, o que aconteceu em 90% ou mais das partidas. Os dois sempre fizeram escolhas lamentáveis, seja para titulares, seja nas substituições ao longo das partidas. Nem Guardiola daria jeito nesse time? Pode ser. Mas também duvido que ele tivesse armado equipes com três volantes mesmo jogando em casa, que desse tantas chances pros Andrés Rochas da vida ou que resolvesse colocar três zagueiros no time sem treinar essa formação antes.

E é claro que há outros motivos para o elenco não render o esperado: o clima instável do clube, a falta de salários, as rixas internas. E, é claro, para não livrar a cara dos próprios jogadores, a falta de comprometimento de um bando de “profissionais” que sabem que aconteça o que acontecer, dificilmente permanecerá no clube no ano que vem. E são esses os fatores que fazem a torcida mais se irritar com esse grupo e que, não injustamente, nos faz querer que todos sejam dispensados o mais rápido possível. Mas nada disso muda o fato de que, com um treinador decente, esse mesmo elenco teria potencial para render muito mais, inclusive ganhando a competição.

***

Mas, que fique bem claro: nada apagará o fato de que esse é o momento mais vergonhoso em toda a história do Vasco.

Anúncios

5 pensamentos sobre “Vergonha e mérito

  1. Pingback: Com justiça sim! | Vasco Expresso

  2. Série B tem que contratar jogadores que querem jogar. Jogadores que correm atrás de reconhecimento no mercado, buscam o seu espaço. Esse foi o erro do Vasco esse ano, e o acerto em 2009. O time desse ano está cheio de jogadores que pensam que estão no clube pra fazerem favor. Douglas pra mim não dá mais, eu barraria com certeza. Tem um cara que é limitado, mas quer muito jogar, o Dackson. Bota ele e já devolve esse Walking dead pros gambás. Pegou leve quando chamou ele de trotador heim?
    Como disse há uns meses atrás e continuo repetindo: um ano pra se esquecer….

  3. Beleza JC!
    Como diria Tio Jack… vamos por partes!

    O Vasco tem muito problemas extra campo, mas honestamente nenhum é motivo para o time atuar tão mal numa série B. O fato dos salários atrasados… bem, isso acontece em quase todos os clubes no país.
    A falta de comprometimento é ridícula por parte dos atletas. Contudo, sabemos que fazer contratos longos não é garantia de que os jogadores irão jogar bem durante todo o contrato. Talvez um contrato por produção seria o ideal.
    O elenco não é todo ruim! Péssimos são os técnicos que passaram pelo clube nesses últimos dois anos! Ninguém treina jogada ensaiada e os jogadores não tem um padrão tático e isso é culpa dos técnicos.
    Quanto a jogar mal, isso é culpa de ambos. De quem escala e de quem joga! Não adianta colocar um André Rocha, Marlon, Rodrigo, Diogo Silva, Fabrício, Kléber e o morto do Douglas vaga-lume que eles não irão render muito. Pior, vão fazer besteira ou nem mesmo se empenhar em campo .
    Trocar o esquema tático sem treinar é culpa exclusiva do técnico e do diretor de futebol! Jogar mal pra kr@io é culpa dos próprios jogadores.
    A campanha ridícula é culpa de todos no clube! De quem contrata, de quem treinar e de quem joga! Todos tem parcelas!
    Quanto ao mérito de subir! Bem, eu nem sei se esse time ainda sobe! No caso positivo foi mérito do Vasco fazer uma campanha desastrosa e em caso negativo mérito dos adversários que tirarem a vaga do Vasco. Agora o sentimento é que o Vasco não deve subir para não passar vergonha e isso é a verdade que muitos estão vendo para 2015, um time jogando mal e brigando para não cair novamente! O problema é que a possibilidade de cair com esse nível de jogador e com esses técnicos que o time contrata é enorme!
    Sempre acreditei que um elenco mais ou menos com um bom técnico e um esquema tático bem definido e um time empenhado, pode surpreender e fazer bonito. A prova disso foi ver seleções como da Costa Rica, Chile, EUA, Colômbia e Argélia jogarem bem.
    Talvez Guardiola não desse jeito, mas pensando por outro lado, com a moleza dos jogadores do clube e sua falta de empenho, seria melhor um Dunga… brigão, encrenqueiro, duro, mas que chama para ele a responsabilidade e cobra empenho. Empenho mais uma vez é o que falta para esse time. Empenho e vergonha na cara!

Concorda, discorda, gostou? Opine você também.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s