O tamanho do Vasco

mauro-galvao-o-capitao-da-america-7628

 

Não é Diogo Silva, é Carlos Germano

Eu vi Carlos Germano voando em defesas magistrais e garantindo o empate do Vasco em 97. Vasco campeão brasileiro

Também vi Acácio em 89, numa das maiores atuações individuais que um goleiro já fez, criando uma verdadeira muralha em pleno Morumbi no bicampeonato brasileiro

Não é Carlos Cesar, é Luis Carlos Winck

Eu vi Winck chegar no fundo e cruzar perfeitamente na cabeça de Sorato. Gol do Vasco. Gol do gigante calando os são paulinos dentro de casa.

Não é Douglas Silva, é Mauro Galvão

O Capitão América, o herói. O cara que fazia de defender uma arte. Passe para gol no título da libertadores em 98. Gol do título carioca em 98.

Não é Marlon, é Felipe

Eu vi Felipe fazendo fila contra o Real Madrid em 98. Derrota doída, mas que orgulhava, afinal o Vasco estava lá, no topo do mundo.

Não é Aranda, é Luisinho

Luisinho guerreiro, líder de esquadras imbatíveis. Luisinho conquistou tantos títulos no Vasco que sozinho é maior do que tudo o que o Vasco construiu nesse século.

Não é Pedro Ken, é Juninho

Juninho do soco no peito, dos gols de faltas. É Pedrinho da embaixadinha que humilhou o rival, do Vasco que ganhava e tripudiava. Do Vasco que era melhor e sabia disso.

Não é Montoya, é Edmundo

Eu vi Edmundo, um dos maiores de nossa história. Eu vi ele bater o recorde de gols em 97, eu vi um ídolo fazendo história. E vi a história se fazendo realidade

Não é Kleber, é Romário

É Romário genial, Romário dos mil gols. Eu vi o Romário fazer três gols e escrever a virada do século calando o Palestra Itália. E mandando calar, com o dedo na boca cruel, de quem conhece a força da camisa que veste

Não é isso aí de hoje, é o Vasco

Eu vi o Vasco de verdade , o Vasco gigante, o Vasco forte

Eu vi o Vasco superior.

Eu ouvi as histórias do Barbosa, eu ouvi as histórias do Bellini, do Ademir, do Ipojucan, do Friaça.

Eu ouvi sobre a luta contra o racismo e sobre a construção de São Januário. E eu acreditei em tudo pois vi na minha frente a força do Vasco materializada.

Lamento por vocês, jovens, que apenas ouvem e não conhecem a verdadeira força desse clube

Agradeço a Deus por ter conseguido ver o tamanho desse clube

Torço por um dia ainda voltar a ver

Juninho

Essa semana surgiu uma notícia dando conta de que Juninho Pernambucano teria sido convidado a dirigir o Vasco, porém recusado o convite optando continuar comentarista da Rede Globo.

Desde então começaram críticas pontuais dizendo que Juninho nunca ajuda quando o clube precisa. Os casos lembrados são sempre os mesmos: “Ele saiu da França e preferiu jogar no Catar do que voltar ao Vasco” ou “Ele preferiu tentar a sorte nos EUA do que continuar no clube em 2013”.

Pior quando surgem comparações com outros ídolos, que teriam optado pelo Vasco em situação similar.

O que muitas pessoas não se dão conta é que Juninho sempre foi uma pessoa muito mais voltada para a razão do que para a emoção. Deixar o cargo de comentarista da Globo para treinar o Vasco nesse completo ambiente de incerteza atual seria uma atitude irracional e não é do perfil do Juninho.

Edmundo deixou a Fiorentina no auge da carreira e retornou ao Vasco, forçando todas as barras possíveis para isso. Mas esse era o Edmundo. Não à toa Juninho venceu na Europa enquanto Edmundo, que como jogador era superior, não conseguiu.

Juninho jamais rasgaria um contrato no meio para voltar ao Vasco. Em compensação, Juninho jamais faria gestos obscenos para a torcida vascaína vestindo a camisa do rival. Em compensação, Juninho jamais criaria os diversos problemas internos que Edmundo criou e que em alguns momentos tanto nos prejudicaram.

Não se trata de uma crítica ao Edmundo, pelo contrário, ele é um dos meus maiores ídolos no Vasco. Trata-se de mostrar que cada um tem o seu perfil e isso trará prós e contras, dependendo da situação. Há momentos em que ser Juninho é melhor, há momentos em que ser Edmundo é melhor. Só que cada um é cada um, e é preciso respeitar as individualidades.

A questão é: Juninho (assim como Edmundo) não tem nenhuma dívida com o Vasco. Enquanto ele esteve em campo honrou a camisa, fez o seu máximo e orgulhou uma geração de vascaínos. Isso era o que ele deveria fazer e fez muito bem.

Findado esse vínculo, ele é um profissional como outro qualquer, que pode e tem o direito de tomar as decisões que julga melhor para a sua vida, que não é restrita apenas ao Vasco.

Eu gostaria muito que ele chutasse a razão para o lado e retornasse ao clube de alguma forma. Mas se Juninho chutasse a razão ele deixaria de ser Juninho. E não sendo Juninho, talvez muitas bolas históricas para o clube não tivessem sido chutadas da mesma forma.

Vasco Expresso

Com muito prazer volto a escrever colunas nesse espaço vascaíno. Espero que gostem dos textos, debatam, frequentem.

Concordo que a realidade do Vasco desanima qualquer um. Eu também me sinto assim em muitos momentos. Mas só quem pode resgatar o clube é quem o ama verdadeiramente, como nós que fazemos parte do site, como você que está me lendo.

Somente os verdadeiros torcedores podem devolver o Vasco ao seu local de direito, do qual por incompetência foi tirado.

Minha coluna vai ao ar toda quarta a partir das dez da manhã

Por um Vasco sempre Gigante!

Twitter: https://twitter.com/hfloret

E-mail: hfloret@gmail.com

Facebook: http://www.facebook.com/helderfloretvasco

 

Anúncios

11 pensamentos sobre “O tamanho do Vasco

  1. Amigos, muito obrigado pelos elogios

    O JC é um grande colunista e escreve sempre às segundas

    Os textos de quarta são meus

    SV

  2. Prezado Helder,
    Com muito prazer acompanho suas colunas há tempo…seus textos traduzem todo o sentimento verdadeiro de um vascaíno…. parabéns pelo espaço aqui conquistado e creio, que, junto com o JC (com muito respeito aos outros tb) vcs irão dirimir muitas dúvidas de vascaínos de todo o mundo!! Saudações Vascaínas.

  3. concordo com tudo isso que vc falou ,tb viver esses momentos do meu vascão e hoje tenho muitas saudades….esses caras que estão vestindo a armadura do vascão hoje não dignos de está jogando com essa camisa que tem muitas historia e muitos titulos ,ver o vasco jogando hoje me sinto envergonhado como esses jogadores estão fazendo com o vascão…a começar pelo nosso presidente que era um doos melhores atacantes e hoje se tornou um incompetente para comandar a presidençia do vasco ,quando contratou jogadores e treinadores que nunca tiveram amor por essa historia chamado vasco da gama e espero que no futuro breve possamos a voltar a ter alegrias,poder chegar na rua e pertubar os adversarios na resenha falando coisas boas do meu time ,gritando é campeão ….quem sabe os deuses do futebol não tem coisas boas reservados para a nação vascaina em um futuro breve,mais apesar de td isso que está acontecendo ,eu jamais vou te abandonar ,pois o meu amor por vc vascão é muito grande ,apesar hoje o meu coração está triste ,mais tenho esperança que logo ele voltará a ser feliz novamente por amor a esse grande clube do meu coração vasco da gama..te amoooooooooooooooooooooooooo vascoooooooooooooooooooooooooooooooooooo…

    adriano de cumuruxatiba bahia

  4. Eu não sei vcs,mas eu conheço o trabalho do Oliveira Canindé,atual técnico do América(rn), que fez um trabalho maravilhoso no Campinense e ta fazendo um ótimo trabalho no américa.Ele tem visão moderna de jogo,com variaçoes táticas,toque de bola,etc.Não acho alguém melhor que ele pra levantar o Vasco.

  5. Cara, foi excelente o seu texto. Descrever a história do vasco, tenho certeza, é emocionante e gratificante. Também vi os momentos emocionantes que passamos como torcedores, que você citou. Por isso sempre digo que essa fase negra tem que passar e o vasco deverá voltar a ser vasco.
    Muita sorte pra você nessa janela de comunicação, Helder.
    Abraço

  6. Meu caro Helder… sou testemunha de tantas glórias citadas no seu texto!! Parabéns… tamo junto!!
    Hoje, no pior momento da história do Gigante, precisamos de união e afastar essa escória que se tenta se apropriar desse patrimônio que é nosso!!
    Saudações Cruzmaltinas

  7. Fiquei arrepiado jc, fico orgulhoso de ter mim apaixonado por esse clube na década de 90 e ter visto tantos títulos, tantas glórias e tantos craques envergando a armadura vascaína com tanto orgulho…

  8. Bom dia Helder e caros vascaínos.

    Tenho 30 anos e vi boa parte desse Vasco que vc citou, desse Vasco que cativava e encantava, quanto saudade de não ser tão humilhado como estamos sendo atualmente…

    O sentimento não vai parar, mas a tristeza, desilusão e desânimo aumentam…

    Abraço a todos.
    SDV

    Jalson Dutra.

Concorda, discorda, gostou? Opine você também.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s